ZERO UM

 

RAÍZES NACIONAIS  ANTES QUE DESAPAREÇA

 

A compreensão do processo cultural do país chamado Brasil está diretamente relacionada à sua ocupação inicial e o contínuo movimento para o Oeste, que inicialmente era chamado de “sertão”.

Independentemente das perspectivas que venham ser utilizadas para tentar compreender estes 518 anos, podemos dizer que, afastando as ideologias colonizadoras que fizeram e fazem sombras até os dias atuais, há dois mecanismos básicos que ainda são válidos, mesmo não sendo utilizados plenamente por quem milita nesta área.

O Primeiro diz respeito ao completo desconhecimento das várias etnias nativas existentes no litoral, assim como no processo ocupacional do oeste brasileiro.

As primeiras informações oriundas de espanhóis, portugueses, franceses e holandeses, sendo portugueses os jesuítas, que mantiveram durante décadas em rédeas firmes e curtas a educação e o ensino no país. Estas primeiras informações sofreram o impacto cultural do desconhecido, assim como o exotismo que muitos estudiosos afirmam ter origem em Marco Polo. Outros também explicam o Oriente como referências para estas informações um tanto confusas ou mesmo referendadas como antagônicas ao estágio cultural europeu que eram distintas em seus países diretamente relacionados a questão em foco, Portugal, Espanha, França e Inglaterra, realidades políticas, econômicas e culturais distintas.

O Segundo mecanismo básico diz respeito à própria cultura que estava sendo plasmada neste país. Se pensarmos neste processo saberemos que houve  influência  católica muito acentuada, havendo relatos que afirmam que eram nas festas religiosas que aconteciam o ‘efervescer’ maior das manifestações sociais.

Com a fuga da coroa portuguesa ante as forças francesas para o Brasil começou uma nova temporada cultural, o que significa dizer também o nascimento de novas situações que perduram até os dias atuais, a cópia dos cânones europeus como processo civilizatório. Nos dias atuais, a influência norte americana [USA] como referência em todas as áreas do espectro cultural.

No processo histórico a literatura tem destaque maior em função da própria realidade nacional, onde a necessidade de criar o brasileiro símbolo da pátria ganha destaque e que converge para as etnias nativas, o bom índio e não os bugres. O teatro e os musicais [operetas] também tiveram destaques neste período.

Com o aprimoramento tecnológico, radio e depois a TV e nos últimos anos a Internet, a cultura passa a ser uma cópia dos grandes centros econômicos, americanos e europeus.

Em função desta realidade a revista digital ao mundo nova Iguaçu-rj-brasil.esy.es passará, na medida do possível, a mostrar as raízes nacionais antes que desapareçam com o intuito de resgatar o que está extraviada ou esquecida na realidade cultural atual deste país.

15-12-2018