NENHUM SONHO É ETERNO

Alguém no decorrer do Tempo já escreveu que nenhum sonho é eterno, e isto foi demonstrado em 2013 e concretizado agora no dia 28-10-2018.

Sugerir falhas ou qualquer outra ruptura é oficio de quem respira e vive política com “os donos do poder”.

Logo após o veredicto vozes do além, refletidas nos monitores de TVs e nas Rádios, começaram a ladainha sabe se lá porque de tentar explicar o que poderiam ter tentado no período eleitoral, mas não, ficaram falando o quê era ‘discurso’ de grupos e esqueceram se da maioria silenciosa, que ninguém sabe e ninguém conhece. Falaram somente para os iguais num país de desiguais.

E assim falaram sobre mudanças de paradigmas, novos partidos, formação de ministérios, democracias, pautas progressivas, as mídias tradicionais, bancada evangélica, homofobia, racismo, fascismo e por ai vai….

Na verdade a maioria silenciosa não quer saber destas baboseiras, e os votos tornam estes discursos de grupos uma grande besteira, o que é preciso são empregos, saúde, segurança e menos palavra de ordem.

Fugir desta realidade é querer trazer de volta novamente estes últimos vinte anos. O país mudou, ou melhor, o povo mudou, o que vai acontecer ninguém sabe, mas sobrevivemos aos últimos seis presidentes, não sobrevivemos?

Sorte a todos…

Recebido: 28-10-2018