Gorila Robótico e suas descobertas

 

Gorila robótico junta-se ao bando e captura comportamentos nunca observados antes

 

A série de documentários de vida selvagem Espiões da Natureza (John Downer Productions) inicia sua segunda temporada com um registro inédito de gorilas cantando. É a primeira vez que este fenômeno foi filmado em gorilas-das-montanhas selvagens.

Para conseguir o melhor registro possível da interação dos animais, a produtora cria animais robóticos super-realistas com uma câmera escondida em um dos olhos. O robô até imita o comportamento dos gorilas, desviando o olhar quando os machos adultos costas prateadas se aproximam.

O grande diferencial desses documentários é que a equipe é composta 100% por biólogos e zoólogos, além de contar com consultores especialistas.

“Primeiro, nós precisávamos descobrir qual animal espião seria melhor para filmar o animal. Então, por exemplo, não seria uma boa ideia fazer um espião costas prateadas, já que isso poderia ser interpretado como uma grande ameaça para os gorilas-das-montanhas reais. Portanto, nós escolhemos um bebê gorila”, explica o produtor Matt Gordon.

 

Depois de escolher um robô bebê, a equipe precisava definir quais características faciais eram as mais importantes para que o robô fosse rapidamente aceito pelo grupo de gorilas. Os especialistas determinaram que os olhos eram a parte mais importante do rosto, já que gorilas trocam muitas informações através de olhares.

Gorilas cantores

Um estudo de 2016 publicado na revista PLOS ONE já detalhava o hábito encantador dos gorilas-das-montanhas cantarem enquanto comem, em um tipo de comemoração pela comida. Quantidades e qualidades diferentes do alimento produzem melodias com tons e durações diferentes. Os produtores do documentário chamaram isso de “coral da apreciação”.

O chamado associado à comida pode funcionar como um tipo de aviso para o resto do grupo de que aquele indivíduo está ocupado comendo. “Informar outros membros do grupo sobre a atividade de um deles pode ser importante para a coordenação e coesão do grupo. Tal cenário também pode explicar a frequência alta de chamados de adultos machos: costas prateadas podem ter que se envolver mais frequentemente em informações auditivas já que eles são geralmente aqueles que iniciam mudanças nas atividades do grupo”, explicam os pesquisadores.

Mesmo já existindo observações sobre este comportamento, esta foi a primeira vez que a cantoria foi filmada.

Gases permanentes

Esse não é o único tipo de som que os gorilas emitem. A alimentação que envolve 20kg de folhas todos os dias causa muitos, muitos gases. Esses animais vivem em um estado de quase permanente de flatulência. Confira:

Fonte: Hypescience

07/05/2020