AQUELE PONTINHO AZUL NA IMENSIDÃO DO UNIVERSO

 

Há curiosidades que não conseguem vencer as barreiras impostas pelas normas sociais denominadas antigamente de Ética, ontem de Politicamente Corretas e hoje de Ideologias Rasteiras.

Vivemos um período que foge do tradicional jogo ideológico que estamos, ou melhor, fomos doutrinados a acreditar. Hoje não são as Ideologias Rasteiras, não são as desconexas falas de atores que foram postos nas cadeiras que mandam e muito menos em conversas com um superior cuidando de todos; pelo contrário, é algo que não é visto pela cegueira social, apenas alguns que dedicaram partes enormes de seus tempos conseguem ver uma minúscula entidade que nas três últimas décadas figura de espanto para com todos que tiveram contatos com ela, a diversidade de vírus.

Como acreditar em pessoas que mesmo ocupando cargos públicos não possuem capacidade de abstrações maiores, apenas o básico raciocínio de repetir mantras sem consequências práticas; como acreditar em quem não consegue superar seus conhecimentos inúteis para o isolamento físico necessário para sobreviver. Não podemos acreditar em quem fala apenas pensamentos forjados na miséria de milhões e que hoje estão gritando o que ninguém mais acredita quando as ruas estão desertas. Assim como as igrejas, estabelecimentos comercias, mas o seu contra- ponto e que sempre existiu apesar de não ser compreendido, cheio, o cemitério.

Algo novo está sendo criado, independente de todos e de tudo, a mísera condição humana num espaço mais organizado, com regras próprias independentes da ilusão vendida em séculos, a casa maior, aquele pontinho azul na imensidão do Universo.

Relembre sempre que o Planeta é invencível, apesar de tudo.

Recebido

13-04-2020