A CRIATIVIDADE NAS CIÊNCIAS E NAS ARTES

 

O que é mais criativo: Artes ou ciências?

 

Criatividade nas escolas? É preciso ter cuidado porque informações organizadas demais destroem a criatividade.
[Imagem: Maastricht University/Divulgação]

Criatividade nas artes e na ciência

Escolas e universidades devem aumentar a ênfase no ensino da criatividade, uma vez que as pesquisas comprovam que esta é uma competência essencial em todas as disciplinas, e essencial para garantir o sucesso futuro no trabalho.

Este é o conselho do professor David Cropley, da Universidade Sul da Austrália, e seu colega Kim van Broekhoven, da Universidade de Maastricht (Holanda).

Para chegar a essa conclusão, a dupla explorou a natureza da criatividade para determinar se existem diferenças específicas entre a criatividade nas ciências e a criatividade nas artes.

Eles descobriram que a criatividade em ciência, tecnologia, engenharia e matemática (CTEM) é muito semelhante à criatividade nas artes, indicando que uma abordagem holística para ensinar criatividade nas escolas e universidades beneficiaria a todos.

Criatividade requer abordagem holística

O estudo fornece uma visão valiosa de como os sistemas educacionais podem avaliar e promover as capacidades criativas dos seus alunos.

“A grande mudança para os sistemas educacionais relacionados a CTEM seria se afastar de uma abordagem fragmentada e aleatória para ensinar criatividade, rumo a uma abordagem muito mais holística e integrada. Para preparar a próxima geração para o futuro, precisamos entender as lacunas no mercado – as habilidades humanas que os computadores, a inteligência artificial e a automação não podem alcançar – e é aí que a criatividade se encaixa.

“Até esta pesquisa, não sabíamos se a criatividade nas CTEM era igual à criatividade em qualquer outra coisa, ou se havia algo único sobre a criatividade nas CTEM. Se a criatividade fosse diferente nas CTEM – isto é, envolvesse atitudes ou habilidades especiais – precisaríamos ensinar os alunos de CTEM de maneira diferente a desenvolver sua criatividade.

“Acontece que a criatividade é de natureza geral – ela é essencialmente uma competência multifacetada que envolve atitudes, disposição, habilidades e conhecimentos semelhantes, todos transferíveis de uma situação para outra.

“Portanto, se você gosta de arte, matemática ou engenharia, você vai compartilhar uma abertura para novas ideias, pensamentos divergentes e uma sensação de flexibilidade.

“Esta é uma ótima notícia para os professores, que agora podem abraçar e integrar com confiança níveis elevados de criatividade em seu currículo para o benefício de todos os alunos – sejam eles das CTEM ou das artes,” explicou o professor Cropley.

Checagem com artigo científico:

Artigo: Differences in Creativity Across Art and CTEM Students: We Are More Alike than Unalike
Autores: David Cropley, Kim van Broekhove

 

In:

https://www.diariodasaude.com.br/

 

03/07/202