31-03-2021

 

Na última presença nesta Revista, no dia 07-07-2020, não tínhamos a verdadeira noção do que estava acontecendo naquela data e nem poderíamos imaginar a elevada incapacidade cognitiva, operacional dos elementos estranhos colocados no ministério da saúde para enfrentar algo que a Ciência sugeria que não era com remédios para pulga, carrapato que a Vida poderia vencer.

Como já é de conhecimento de quem lê esta página intitulada de Perplexa Província, os erros absurdos, as incapacidades fragrantes dos mandatários nos órgãos públicos oficializam este título, afinal somos enganados a muito tempo.

Chegamos ao fantástico e inaceitável número de mais de 310.000 mil brasileiros mortos e ninguém dos variados órgãos públicos foi preso por incapacidade técnica.

É inaceitável uma Província como a nossa achar que tudo vai melhorar com o exponencial número desta barbaridade.

Alguém precisa ser responsável por tamanha falta de vergonha na cara, não se pode mais achar normal esta mortandade e muito menos aceitar, como disse um analista político que 500 mil brasileiros mortos seria o número para o impeachment do titular provisório da chave do cofre principal desta Perplexa Província.

Se aqueles que mamam a décadas no produto final do sofrimento da população a elevada carga de impostos, ainda não tomaram vergonha na cara e ficam fazendo o jogo da aparência como estão fazendo neste período escuro da nossa história, é sinal que nesta Perplexa Província não há mais nenhuma esperança na dignidade humana e muito menos naquilo que antigamente ainda era a desculpa deste enorme bando de políticos transvestidos de cores ideológicas, mas incompetentes no fundamental, a Ética.

Triste Perplexa Província, ainda não estás morta, mas raros são os que merecem o seu respeito.