19-04-2018

Como já foi comentado e todos sabem este ano, 2018, será “escolhido”, sabe se lá por quem o presidente desta Perplexa Província, fato este que já foi importante, hoje em dia apenas um incomodo.

Descobrir por que é um incomodo deve ser uma procura interessante para quem gosta de imaginar que os políticos são importantes no processo social de um país e não aproveitadores protegidos pela impunidade e direitos que nenhum outro brasileiro dispõe nesta Perplexa Província.

Mas superior aos políticos que são apêndices de organizações políticas que alguns já consideram empresas, é o presidente. E como é necessário já começou a pipocar as pesquisas de intenção de votos para presidente. E numa Perplexa Província como a nossa, os interesses variam e como variam nestas pesquisas super direcionadas; na última pesquisa da semana passada nem a decisão da Justiça foi considerada.

Você leitor deve considerar que não há a pergunta imprescindível nestas pesquisas, que é a intenção espontânea do entrevistado independente da relação do entrevistador. Ou seja, ninguém quer sabe qual é o teu candidato, mas sim o candidato dos interesses maiores.

Haverá em função da farsa processual e fundamentalmente do interesse na verba partidária, diversos candidatos que fazem papéis de idiotas falando obviedades, mas que são fundamentais para perpetuar os desníveis aceitáveis da dita democracia brasileira, a qual um ilustre historiador já afirmou haver um sério mal entendido a respeito.

Na Perplexa Província pesquisas de intenção de votos para cargo majoritário são apenas fórmulas mágicas para distrair a população de assuntos muito mais graves como, por exemplo, a REGRA DE OURO.

Voltaremos assim que possível for….