18-02-2019

 

Lembrando uma frase já escrita em algum livro que a memória não tem mais registro e substituindo a primeira palavra “Dinheiro” por Verdade, temos a frase para começarmos a saga desta coluna: “a verdade é como esterco que não é bom a não ser que seja espalhada”. É evidente que nunca esta tal “Verdade”, recurso semântico para a triste realidade desta Perplexa Província.

Mas este recurso semântico foi e é usado por todos para atingir seus objetivos. “E como o escopo desta página é unir as barbáries de quem já tem o ‘‘cavalo na sombra”, os agentes públicos, com a parca capacidade da sociedade em compreender este processo na Perplexa Província.

Este início de 2019 já registrou inúmeras barbaridades destes agentes públicos na tentativa de executarem suas obrigações para lembrar rapidamente algumas, tivemos a questão das cores das roupas das crianças, o mal comportamento de quem viaja para o exterior, a questão do whats app do personagem principal desta Perplexa Província e muito mais, o que significa que além das tragédias diárias que trazem o espanto do fato em si, mostram que as redes sociais ainda são os locais para compreendermos que a tal “Verdade” comentada anteriormente ainda é um artigo muito raro e com um preço muito caro nesta Perplexa Província.

Não será errado pensarmos que neste ano de 2019 a “Verdade” seja deixada de lado em prol de uma ideologia qualquer, assim como fica difícil achar alguém que tenha a coragem de mostrar que não existe A Verdade, mas sim As Verdades, algo deixado de lado na história desta Perplexa Província.

Recebido 18-02-2019