05-10-2018

 

Por incrível que possa parecer estamos próximos a decidir quem fará barbaridades nos próximos quatro anos nesta Perplexa Província.

Em nome de uma tal democracia, que muitos dizem ser representativa, iremos exercer uma função primordial, escolher indivíduos que saíram de algum lugar qualquer e que são os candidatos para esta Perplexa Província.

Ainda bem que foram poucos dias de sofrimento e espanto ouvindo barbaridades de todos os gêneros e gostos, mas as ofertas foram mal selecionadas. Por que seria extremamente preocupante sabermos que estes são os melhores possíveis. Lembra aquele velho ditado popular: “não tem tu, vai tu mesmo”. E agora, a população cria a expectativa que irá acertar. Tomara, uma vez que a Perplexa Província necessita ganhar novo título. Não este atual.

Que cada um consiga arrancar do fundo de sua capacidade interpretativa um alento e acerte nas suas escolhas.

Este é o desejo desta coluna intitulada Perplexa Província, mistura de alerta e deboche, pois como alguém já falou antes algo parecido com isto: se a sua ideologia não é motivo de riso, algo está errado.

Sorte para todos.